Histórias de Viagens
Anforeta

Herdeiros da tradição mediterrânica das ânforas romanas, estes contentores serviam para o transporte de azeite, azeitonas em salmoura, alcaparras, feijões, ervilhas, grão-de-bico, vinho, água, mel ou amêndoas, sendo muitas vezes impermeabilizados com resina de pinheiro. Foram recuperados inúmeros fragmentos destas peças – alguns ainda com as rolhas de cortiça que as fechavam – nos naufrágios denominados Angra B e Angra D, sítios arqueológicos subaquáticos integrantes do Parque Arqueológico Subaquático da Baía de Angra do Heroísmo. Este parque, aberto ao público desde 2006, permite conhecer de perto o Cemitério das Âncoras e o vapor Lidador através de mergulho turístico e cultural, reunindo testemunhos e vestígios que comprovam a importância estratégica da cidade de Angra ao longo dos séculos.
Esta peça, achada fortuitamente na baía de Angra do Heroísmo, encontra-se sob a alçada da Unidade de Gestão de Arqueologia do MAH.