Histórias com Arte
"O Bezerro do Espírito Santo e Touro"

Esta obra integra a mostra “Breviário Açoriano” que, conjuntamente com a série “Sinais da Matéria”, constitui a exposição “Simbologias”, inaugurada a 9 de outubro de 2020, aquando da doação à Região da Carmina| Galeria de Arte Contemporânea, que passou funcionar, a partir dessa data , como núcleo do Museu de Angra do Heroísmo, recebendo o nome do seu fundador Dimas Simas Lopes.
Estabelecendo uma relação intertextual muito próxima com a “Festa” de António Dacosta (1942), a tela em destaque funciona como a peça síntese desta exposição, em que representações de símbolos ancestrais se entrecruzam com uma iconografia fortemente marcada pela presença do culto ao Divino, remetendo para uma vivência simultaneamente universal e açoriana do sagrado.
Contrapondo o vulto escuro do touro, configuração dos instintos bestiais do homem, à silhueta luminosa do bezerro enfeitado, salienta-se a capacidade redentora do sacrifício pelo bem comum e a progressão em relação à espiritualidade, mediante o despojamento dos bens materiais.
Dimas Simas Lopes é um conceituado artista plástico terceirense, que se distinguiu pela sua ação ímpar na difusão da Arte Contemporânea na ilha Terceira, nomeadamente através da dinamização da Carmina Galeria (2004/2012), que, além de espaço expositivo, funcionou como um laboratório de artes e um espaço aglutinador de diferentes expressões culturais.