Histórias de Santos
Nossa Senhora Aparecida

O culto mariano no Brasil tem na Nossa Senhora Aparecida a sua maior devoção e a sua mais importante representação iconográfica. Desde 1980, com a visita do Papa João Paulo II, a sua festa litúrgica celebrada a 12 de outubro tornou-se feriado nacional no Brasil de que é padroeira.
Esta obra em que aparece representada sobre três anjos, que remetem para as três raças que compõem o povo brasileiro, é da autoria de Maria Margarida de Lima Soutelo, terceirense emigrada no Brasil, onde se destacou como uma das grandes pintoras do século XX e ficou conhecida como a pintora açoriana. Esta pintura, pertencente à Unidade de Gestão de Belas–Artes do Museu de Angra do Heroísmo, foi oferecida pela autora por intermédio da Casa dos Açores no Rio de Janeiro, tendo tido como portador Vitorino Nemésio.
Segundo a lenda, em 1717, três pescadores recolheram nas suas redes primeiro a cabeça e depois o corpo desta imagem de terracota, a que a imersão na água do rio Paraíba do Sul teria feito desaparecer o habitual revestimento policromático. Uma vez reunidas as duas partes, o peixe até aí inexistente teria aparecido em tal quantidade que a sua abundância foi atribuída à intercessão da Senhora Aparecida, cuja tez escura a fez ser especialmente reverenciada pelos escravos e outra população desfavorecida.