Matar a Sede
Garrafa de bordo

Esta peça faz parte de um lote de quatro, muito semelhantes, pertencentes à Coleção de Náutica e Aeronáutica do Museu de Angra do Heroísmo, que se encontram patentes na exposição de longa duração do Museu de Angra do Heroísmo “Do Mar e da Terra… uma história no Atlântico”.
Com um design específico, de perfil quadrangular, costumam ser designadas por garrafas de bordo, por terem sido muito utilizadas no tempo da navegação à vela para transportar vinho ou azeite, sobretudo, assentando, então, em bases de madeira com a mesma configuração, ficando assim perfeitamente seguras e estáveis.
Em janeiro de 2018, na costa de uma remota ilha australiana, uma família em passeio encontrou uma garrafa de vidro castanho, com aspeto antigo, muito semelhante à que aqui apresentamos; a garrafa estava fechada e continha uma mensagem no seu interior. Posterior investigação, conduzida e validada por especialistas, revelou que a mensagem datava de 12 de junho de 1886 e que a garrafa havia sido lançada ao mar de bordo do veleiro alemão “Paula”, algures no oceano Índico, no decurso de uma viagem entre Cardiff, no País de Gales, e a atual Indonésia. A garrafa tem estado exposta no Museu da Austrália Ocidental.